Sony voltará a fabricar discos de vinil após 30 anos

Desde 1989 que a Sony Music suspendeu a fabricação de discos de vinil no Japão, e decidiu que retornaria à produção do vinil, quase 30 anos depois, provavemente já a partir de março de 2018.

De acordo com a agência EFE, uma porta-voz da empresa, que não quis revelar o volume de produção previsto, a empresa tomou esta decisão devido a crescente vendagem que os discos de vinil estão a ter ano após ano em diversos mercados, ao contrário da venda de cd´s e downloads (só o streaming tem crescido).

Foto: Reprodução

As vendas no Japão chegaram a cerca de 800 mil unidades em 2016, oito vezes mais que em 2010. No Reino Unido, as vendas de vinis no ano passado superaram as de música em formato digital.

Apesar de serem números animadores, eles ainda estão muito além dos registados na década de 1970, onde o Japão registrou a produção de quase 200 milhões de discos por ano.

A fábrica da Sony fica situada do município de Shizuoka, ao sudeste de Tóquio. Hoje existe apenas um fabricante em todo Japão, a Toyokasei.

Foto: Reprodução

A Sony pretende se readaptar ao renascimento do vinil, graças às vendas de álbuns de segunda mão e ao número crescente de novos lançamentos no antigo suporte analógico, e idealiza trabalhar tanto com melodias japonesas populares, como com os últimos grandes sucessos.

A companhia instalou um novo estúdio de gravação no centro de Tóquio concebido especialmente para produzir os “masters” dos quais serão geradas as cópias em vinil e aproveitar melhor a qualidade desse formato, segundo a porta-voz.

Segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, em sua sigla em inglês), as vendas de vinis no Japão chegaram a cerca de 800 mil unidades em 2016, oito vezes mais que em 2010, segundo dados da indústria musical do país.

Foto: Reprodução

Essa tendência também está sendo observada em outros lugares, como o Reino Unido – onde as vendas de vinis no ano passado chegaram a superar às de música em formato digital, e os Estados Unidos, onde 17,2 milhões de discos foram vendidos em 2016.

Ainda segundo a IFPI, a indústria fonográfica experimentou no ano passado um crescimento de 5,9%, o maior desde 1997, e apresentou lucros totais de 15,7 bilhões de dólares.

Movida pelo reaquecimento do mercado a Panasonic relançou recentemente a marca de gira-discos Technics e novos modelos da linha SL-1200, enquanto a Sony comercializa um novo modelo.

Com informações: G1 / Veja / Uol / Cifraclubnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *