Arte naïf do artista plástico Gildo Xavier na exposição ‘Configurações Familiares’

Pai, mãe, filho, filha, diferentes étnicas e credos. Com telas em arte naïf o artista plástico Gildo Xavier expõe, durante o mês de setembro, o seu mais recente trabalho, intitulado “Configurações Familiares”. A mostra está aberta para visitação em uma cafeteria de Intermares, em Cabedelo (PB).

A relação de Gildo Xavier com o desenho e a pintura começou ainda na infância. “Nas brincadeiras, me recordo que gostava de desenhar, fazer colagens, criar historinhas, personagens com materiais como cartolina, papel camurça, casca de ovo”, relembra o artista plástico.

Foto: Divulgação

As mudanças no perfil das famílias na contemporaneidade são tratadas com delicadeza e apresentadas de forma natural no colorido das tintas do artista paraibano.

As influências religiosas do pai e da mãe, além da formação em Ciências das Religiões, inspiram a arte de Gildo Xavier. “Esse conjunto contribuiu para que eu viesse a produzir trabalhos referentes à temática religiosa e ao cotidiano religioso presente na sociedade”, comentou.

Foto: Reprodução/Facebook

Na exposição “Configurações Familiares” o artista demonstra a versatilidade do seu trabalho. “Minha arte também reflete os diferentes valores e pluralidade que constitui, de maneira geral, nossa sociedade em vários aspectos, sejam eles culturais, religiosos, étnicos, de gêneros, entre outros”, explicou Gildo Xavier.

A abertura da mostra foi realizada na noite da sexta-feira (8), no Buarque-Se Café com Arte, localizado em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa.

Arte de Gildo Xavier

Tela da exposição “Configurações Familiares”. Foto: Gildo Xavier
Obra da exposição “Configurações Familiares”. Foto: Gildo Xavier
Pintura de Gildo Xavier. Foto: Facebook/Reprodução
Tela da exposição “Configurações Familiares”. Foto: Gildo Xavier

Serviço

Exposição “Configurações Familiares”

Local: Buarque-Se Café com Arte – Avenida Mar Negro, nº 267, Cabedelo

Visitação: 16h às 22h

Contato: (83) 3567-5980


Por Marcella Machado, da redação do Conexão Boas Notícias 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *