As 20 maiores invenções feitas por brasileiros e que mudaram o mundo

O brasileiro é conhecido pela sua capacidade criativa de inventar coisas, improvisar algumas situações. 

Nossos cientistas e pesquisadores sempre tiveram bons projetos, mas, por falta de reconhecimento e apoio, muitos acabaram ficando pelo caminho e as glórias acabaram indo parar nas mãos de estrangeiros.

O primeiro inventor brasileiro

Bartolomeu Lourenço de Gusmão. Foto: Reprodução
Bartolomeu Lourenço de Gusmão (1685-1724) foi um padre católico, cientista e inventor, nascido na então colônia portuguesa do Brasil, capitania de São Vicente. Apelidado de “padre voador”, o padre Gusmão tornou-se famoso por ter inventado o primeiro aeróstato operacional, a que chamou de “Passarola”. É uma das maiores figuras da história da aeronáutica mundial. Foi o primeiro inventor, não apenas do Brasil, mas das 3 Américas.
 
1. Aeróstato operacional – “Passarola”
 
Primeiro aeróstato operacional – “Passarola”. Foto: Reprodução
Nas terras da Colônia Bartolomeu observou uma bolha de sabão e percebeu que o ar quente é mais leve que o ar exterior, fator que possibilitaria criar um veículo capaz de levitar. Em 1709, ele criou a “Passarola” e a exibiu para a corte portuguesa, que se impressionou com o aparelho, movido a ar quente, que era capaz de subir há mais de 4 metros de altura.
 
2. Balão estático
 
Balão estático. Foto: Reprodução

Bartolomeu Lourenço de Gusmão também foi o criador de um invento brasileiro muito interessante, o balão estático: coloridos e enormes em que as pessoas usam para se aventurar pelos céus. Ele mudou-se para Portugal no início do século XVIII.

Santos Dumont – Suas principais invenções: 

Alberto Santos Dumont. Foto: Reprodução

Alberto Santos Dumont (1873-1932) foi um engenheiro mecânico muito criativo. Ainda criança, inventou aviõezinhos com hélices acionadas por elásticos. Já adulto, trouxe para o Brasil o primeiro automóvel movido a petróleo. Mas foi em Paris onde sua criatividade e talento foram reconhecidos. Suas principais invenções foram:

3. Balão a gás de pequeno porte

Balão a gás de pequeno porte. Foto: Reprodução

A invenção revolucionou a construção de aeróstatos. Foi batizado de Brasil, em homenagem à terra natal de Santos Dumont.

4. Dirigível

O Dirigível. Foto: Reprodução

Ao colocar um motor movido a petróleo num balão a gás, Dumont inventou o primeiro dirigível. O modelo nº 9 foi o primeiro a dar a volta à torre Eiffel.

5. O avião

Avião – 14 Bis. Foto: Reprodução

Apesar de o mundo cair na história de que os irmãos americanos Orville e Willbur Wright inventaram o avião, a verdade é que os louros desse invento cabem mesmo a Santos Dumont, do Brasil. A dupla dos Estados Unidos realmente chegou a construir uma aeronave em 1903 (três anos anos da apresentação do 14 Bis), mas eles utilizaram uma espécie de catapulta para fazer o invento decolar.

No caso do brasileiro, ao contrário, foi um motor a combustão que voar a máquina mais pesada que o ar ganhar os céus. Além disso, o voo inaugural do 14 Bis foi em Paris, diante de um grande número de pessoas, o que reforça a condição de Dumont como o grande pioneiro da aviação em todo o mundo.

6. O relógio de pulso

O relógio de pulso. Foto: Reprodução

Dumont pediu ao seu amigo e famoso relojoeiro Louis-François Cartier que transformasse o seu relógio de bolso num relógio que pudesse ser colocado em seu pulso, usando alças no lugar da corrente, de modo que ele pudesse controlar facilmente o tempo que passava no ar, enquanto manobrava os comandos da aeronave. Rapidamente, o modelo tornou-se moda em Paris e no resto do mundo.

7. Hangar com portas de correr

Hangar com portas de correr. Foto: Reprodução

Em 1900, para fechar o galpão onde montava as suas invenções, Dumont colocou portas que corriam sobre rolamentos. O primeiro hangar do mundo tinha 11 metros de altura, 7 metros de largura e 30 metros de extensão.

8. O Ultraleve

O Ultraleve. Foto: Reprodução

Demoiselle 20, um avião menor, mais rápido e com maior possibilidade controle que o 14 Bis, foi o último invento aeronáutico de Dumont. E o primeiro ultraleve da história. Tinha 115 kg, envergadura de 5,50m e comprimento de de 5,55m.

9. Abreugrafia

Abreugrafia. Foto. Reprodução

Apesar do nome estranho, essa invenção brasileira consiste nas radiografias muito solicitadas pelos médicos hoje em dia. A descoberta da tecnologia foi feita pelo médico Manuel de Abreu, que pesquisou durante muitos anos uma forma de captar a imagem de órgãos do corpo humano.

As pesquisas do brasileiro começaram a dar resultado em 1936, quando ele finalmente conseguiu usar chapas radiográficas para “fotografar” os pulmões. Os resultados possibilitaram o diagnóstico de doenças como a tuberculose com maior rapidez. 

Manuel de Abreu. Foto: Reprodução

Manuel de Abreu chegou a ser cotado para ganhar o prêmio Nobel de Medicina, em 1950, mas não foi realmente agraciado com a honra. Depois de anos de trabalho, inesperadamente, o famoso pneumologista morreu em 1962, de câncer de pulmão.

10. Rádio

Radio. Foto: Reprodução

A invenção do rádio foi atribuída ao italiano Gugliermo Marconi. Entretanto, foi um padre brasileiro Roberto Landell de Moura, que, anos antes, fez a primeira transmissão da voz humana por meio das ondas radiofônicas em 1894.

Padre Roberto Landell de Moura. Foto: Reprodução

O padre Landell usou o recurso para transmitir um comunicado por vários quilômetros na cidade de São Paulo. Mas, sua inteligência foi vista com desconfiança, especialmente pela comunidade religiosa. Ele foi acusado de praticar feitiçaria, e por esse motivo o seu trabalho não teve visibilidade.

11. Escorredor de arroz

Therezinha Beatriz Alves de Andrade. Foto: Reprodução

Um utensílio bastante simples na cozinha, o escorredor de arroz precisou ser delicadamente pensado para ser desenvolvido. A criação foi da dona de casa Therezinha Beatriz Alves de Andrade, que estava cansada de ver sua pia se encher de arroz todos os dias, na hora de escorrer a água da lavagem.

Ela criou o utensílio em 1959, e consistia em uma pequena bacia com uma peneira acoplada. Três anos depois de patentear seu invento, o escorredor de dona Therezinha começou a ser exibido em feiras de utilidades domésticas e comercializado em todos os lugares.

12. Urna eletrônica

Urna Eletrônica. Foto: Reprodução

A máquina facilita o processo de votação e contabilização dos votos nas eleições brasileiras foi pensada por um juiz eleitoral de Santa Catarina chamado Carlos Prudêncio.

Ele decidiu investir, ainda na década de 1980, na criação de uma urna de votação eletrônica.

Juiz Carlos Prudêncio. Foto: Reprodução

O magistrado, então, contou com a ajuda do irmão, um empresário da área de informática, para desenvolver o aparelho, que foi utilizado pela primeira vez, de forma experimental, em 1989. Só depois de 7 anos que é a nova urna foi implantada em larga escala e, em 2000, o país realizou sua primeira eleição totalmente eletrônica.

13. Cartão telefônico

Nélson Guilherme Bardini. Foto: Reprodução

Houve uma época em que as pessoas não contavam ainda com a tecnologia facilitada dos celulares e, mesmo assim, já tinham a necessidade de se comunicar com maior rapidez. Os orelhões, então, era a única opção para quem estivesse na rua e precisasse fazer uma ligação.

Até os anos de 1980, era preciso utilizar fichas metálicas, semelhantes às moedas, para usar os telefones públicos e, não raro, era preciso uma grande quantidade delas para ligações mais longas ou à outros municípios. Para acabar de vez com esse incômodo, o engenheiro Nélson Guilherme Bardini teve a ideia revolucionária, em 1978, de criar um cartão feito de PVC, com um circuito elétrico em seu interior, que permitisse às pessoas ter uma espécie de créditos de ligações.

Assim surgiu o cartão telefônico. O invento se espalhou pelo mundo mas, curiosamente, só foi implantado de forma oficial em território brasileiro em 1992.

14. Identificador de chamadas

Identificador de chamadas (Bina). Foto: Reprodução

Há 30 anos, além de ser uma aquisição cara, quem contava com telefone em casa tinha ainda que lidar com trotes constantes. Isso acontecia porque não havia maneiras de identificar o número da chamada que se estava recebendo.

Nélio José Nicolai. Foto: Reprodução

Cansado de enfrenta essa situação todos os dias, o eletrotécnico Nélio José Nicolai, em 1980, criou um aparelho que permitia identificar de onde vinha a ligação. Ele, então, deu o nome de Bina (sigla para B identifica número de A) ao seu invento, que em pouco tempo se espalhou pelo mundo. 

15Walkman

Walkman. Foto: Reprodução

Se hoje em dia existe uma enorme variedade de aparelhos que permitem as pessoas escutarem música fora de casa, há muitos anos esse era um sonho distante dos amantes de um bom som. Os aparelhos que reproduziam música eram enormes e pesados, difíceis de serem tirados do lugar.

Em 1979, um rádio e toca-fitas portátil foi lançado pela Sony, revolucionando de vez o mercado de eletrônicos. O que poucos sabem é que o Walkman, como foi chamado o invento, foi criado pelo alemão Andreas Pavel, naturalizado brasileiro.

Andreas Pavel. Foto: Reprodução

Aliás quando ele anunciou sua invenção,em 1972, o aparelho era chamado de stereobelt. Após anos de brigas judiciais, o inventor e a Sony acabaram entrando em um acordo, com a empresa reconhecendo a autoria do invento.

16. Soro antiofídico em pó

Soro antiofídico em pó. Foto: Reprodução

Apesar de existiram desde o século XIX, os antídotos contra veneno de cobras passaram por uma revolução nos anos 2000. Isso porque um veterinário brasileiro, chamado Rosalvo Guidolin, teve a ideia de resolver criar uma versão em pó do medicamento, com prazo de validade muito maior que suas versões líquidas e que não precisa ser mantido em baixa temperatura.

Rosalvo Guidolin. Foto: Reprodução

Conforme o veterinário, a nova versão desses antídotos foi pensada para atender os requisitos de transporte e armazenamento dos soros, que sempre enfrente problemas na hora de chegar até regiões mais remotas, onde costumam ser mais necessários. O produto solúvel, então, começou a ser produzido em São Paulo pelo Instituto Butantan, um dos mais importantes centros de excelência no assunto em todo o mundo.

17. fotografia

Hercules Florence. Foto: Reprodução

O primeiro homem a descobrir uma forma de gravar imagens com o uso da luz não era brasileiro, mas vivia em nosso território. Morador da cidade de Campinas, interior de São Paulo, o francês Hercules Florence descobriu um método para imprimir fotos usando papel sensibilizado com nitrato de prata.

O princípio fotográfico é utilizado até hoje em revelações de imagens, porém basta pesquisar em qualquer livro de história para perceber que o nome de Florence não está entre os inventores da fotografia. Isso aconteceu porque, enquanto ele desenvolvia seu trabalho em silêncio por aqui, uma pesquisa similar estava em andamento na França.

As pesquisas de Louis Daguerre e Joseph Niépce são consideradas o ponto inicial da fotografia e ambos herdaram o título de paternidade da invenção. Ao saber das conquistas da dupla francesa, Florence abandonou as suas pesquisas.

18. Máquina de Escrever

Máquina de Escrever. Foto: Reprodução

Hoje as máquinas de escrever já são praticamente peças de museu, mas antes dos computadores era comum encontrar em qualquer escritório diversos aparelhos como esses. Essa invenção também nasceu no Brasil, ainda no século XIX.

O padre João Francisco de Azevedo teve a ideia de adaptar um piano de 24 teclas para que ele pudesse imprimir letras em um papel. Para mudar de linha era preciso pisar no pedal, localizado na parte de baixo do aparelho. Sem dúvida, a ideia era bastante promissora.

Padre João Francisco de Azevedo. Foto: Reprodução

Velho e doente, Azevedo confiou a sua invenção ao negociante George Napoleon, que dizia ter possíveis interessados em fabricá-la nos Estados Unidos. O padre nunca mais teve notícias do vendedor, mas alguns anos depois um modelo quase igual foi apresentado em solo americano por Christofer Sholes. Em seguida, a empresa Remington comprou a ideia e passou a fabricá-las em escala comercial.

19. Coração artificial
Aron de Andrade e a sua criação – um coração artificial. Foto: Reprodução

O engenheiro mecânico Aron de Andrade, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (SP), elaborou essa salvação para os cardíacos em 2000, que é ligado ao coração natural e alimentado por um motor elétrico.

20. Cinema 3D
Cinema 3D. Foto: Reprodução

Em 1934 um italiano chegado ao Brasil com seis meses de idade, chamado Sebastião Comparato, criou dois modelos de projetores 3D e os apresentou no Rio de Janeiro. O projeto consistia em um pequeno equipamento que podia ser adaptado a projetores comuns e a uma tela especial. A imagem projetada era refletida por um espelho e o processo criava a sensação de que a imagem estava passando em um espaço vazio, como uma espécie de palco de teatro.

Com informações: Fatos Desconhecidos / Curioso E Cia.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *