Estudantes da UFPB e UFCG desenvolvem Babá eletrônica para surdos

A estudante de design Ana Caline Escarião desenvolveu uma babá eletrônica para surdos que avisa aos pais quando o bebê está chorando por meio de uma pulseira que vibra.

Tudo começou com as experiências vividas dentro de casa. “Eu tenho duas primas que são surdas, então desde criança […] eu percebia as dificuldades que elas tinham para as atividades cotidianas. Ao longo do curso de design eu procurava desenvolver produtos que fossem voltados para pessoas com deficiência auditiva”, declarou Ana Caline.

O projeto da Universidade Federal da Paraíba foi o primeiro do Campus IV (Rio Tinto e Mamanguape) a ser patenteado.

A estudante de design Ana Caline Escarião teve a ideia de criar a babá eletrônica para surdos. Foto: Reprodução

A babá eletrônica para surdos ganhou o prêmio inovação da UFPB, e é chamado de “Buátech”.

O equipamento é produto da união dos esforços de Ana Caline com os mestrandos de engenharia elétrica Higo Thaian e Danilo Cavalcanti, que ficaram responsáveis por desenvolver a parte tecnológica.

“A gente tinha que desenvolver um programa que distinguisse o choro do bebê de outros barulhos do quarto, como o de um eletrodoméstico ou mesmo de um caminhão passando na rua”, apontou o mestrando em engenharia elétrica pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) Higo Thaian.

Mestrando Higo Thaian, um dos responsáveis pelo desenvolvimento da parte tecnológica do “Buátech”. Foto: Reprodução 

O professor coordenador do projeto e do laboratório da UFPB, Antônio Souza, destacou que o produto pode estar disponível no mercado já no segundo semestre de 2018. Faltam apenas ajustes na estrutura do Buátech e também investimentos para a produção em larga escala.

Com informações: G1 / Revista Fashion Kids / Notisurdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *