Literatura infantil no universo da escritora capixaba Isa Colli

O gesto nasce das palavras com o filtro da imaginação. Em um diário de capa rosa, a menina, entrando na adolescência, desenha os seus primeiros textos. Desde criança, Marilza Helena Minas Colli já era Isa Colli, como os pais a chamavam. A garota de Presidente Kennedy, no Espírito Santo, adulta tornou-se jornalista e escritora de literatura infantil.

Isa Colli nasceu em 27 de junho de 1968 e desde os 12 anos de idade sua vida é permeada de histórias. Seus escritos saíram das gavetas quando um câncer surgiu com a possibilidade de colocar um ponto final na sua trajetória. Mas a doença transformou a literatura em um refúgio para a escritora.

A autora capixaba já publicou seis livros, entre eles ‘Pirulito das Abelhas’, ‘A Fazendinha’ e um romance intitulado ‘O Recomeço’. No encontro entre observação, palavras e papel, surge um universo onde natureza, respeito e empreendedorismo povoam a vida de crianças no Brasil e pelo mundo.

Hoje, a brasileira vive em Bruxelas, na Bélgica. O Conexão Boas Notícias conversou com Isa Colli sobre a carreira de escritora, literatura infantil, educação e inspiração.

A literatura está na sua vida desde a infância. O que mais a atrai nesse universo?

Desde a infância, a literatura tem sido um ponto forte em minha formação pessoal. Tive contato com a leitura através de minha mãe, uma contadora de histórias, que despertou nos filhos de forma muito simples, o amor pela literatura. O que muito me atrai neste universo é a capacidade que temos de sonhar e criar! A vida nos oferece grandes oportunidades para nos desenvolvermos, nos tornarmos pessoas éticas, repletas de valores e virtudes e, tudo isso precisa ser difundido, oferecido às crianças que estão se formando. É um privilégio fazer parte deste sonho, o de tornar a vida das crianças mais feliz, saudável e lhes oferecer uma visão de futuro promissor.

Isa Colli é filha de pais agricultores e foi alfabetizada aos 5 anos de idade. Foto: Divulgação

Como o seu gosto como leitora a transformou em escritora?

Quando fazemos o que gostamos, automaticamente buscamos expandir nossos horizontes. Conforme eu ouvia histórias e lia livros de literatura, acontecia dentro de mim algo grande, um desejo de passar para outras pessoas aquilo que eu sonhava e criava. Quando pessoas próximas começaram a se identificar com aquilo que eu escrevia, passei a entender que era o momento de produzir mais e mais textos e escrever livros. Então, vi surgir minha carreira como autora.

Sustentabilidade, meio ambiente, natureza são temáticas presentes nas suas obras. Qual o desafio de tratar desses assuntos com o público infantil?

Os temas como sustentabilidade, meio ambiente, natureza, diversidade, entre outros, devem permear toda a formação de crianças e jovens nos dias atuais. São assuntos pertinentes à qualidade de vida e saúde de todos neste planeta. As crianças têm acesso a um leque de informações pela internet, através de conteúdos escolares, mas precisam se apropriar de todo este conhecimento e passá-los à vida prática, vivenciando a realidade. Meus livros abordam tais temas de forma clara, exemplificando e trazendo à tona discussões amplas e significativas, onde a criança se sente parte integrante da história, como um ser social e protagonista de sua própria história.

O primeiro livro da autora, o romance ‘Um Amor, um Verão e o Milagre da Vida’ foi editado em 2011. Foto: Divulgação

Já teve suas obras lançadas em Portugal, Itália, Alemanha, México. Como as crianças de outros países recebem o seu trabalho?

Meus livros têm sido muito bem aceitos por países da Europa, assim como no Brasil. Os textos são de cunho universal, pois abordam conteúdos de relevância para o mundo, não sendo focados para somente um público.

Escolas também tem adotado suas obras. Qual o significado dessa inserção pedagógica para o seu trabalho?

Existem adoções de meus livros em vários estados e cidades brasileiras. Meu objetivo principal é subsidiar escolas, professores e pais com temas pertinentes à criança, possibilitando aprendizagem de forma criativa e significativa, sempre voltados ao trabalho pedagógico, com enfoque didático, mas sem esquecer de manter uma escrita leve e atrativa.

Em julho de 2017, Isa Colli recebeu o ‘Prêmio Excelência e Qualidade Brasil’, na categoria ‘Profissional do Ano’. Foto: Reprodução

Como o cotidiano a inspira na construção dos seus livros?

Tudo à minha volta me inspira! A vida me inspira! Sempre penso em tornar os assuntos cotidianos em temas para educação e formação do indivíduo leitor. Meus livros abordam mensagens simples, do dia a dia e, devido a este olhar, tem atraído a atenção de muitos.


 Por Marcella Machado, da redação do Conexão Boas Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *