Pai da Lua: Ave exótica está procriando em vários sítios

Uma ave exótica e com hábitos complexos está procriando há décadas na Paraíba, na região da cidade de Fagundes, no Agreste. O Urutau ou “Pai da Lua”, ou “Mãe da Lua” ou até mesmo o “Camaleão dos Céus” é uma ave noturna, restrita às regiões mais quentes, que pertencem ao género Nyctibius e à família Nyctibiidae.

Um ambientalista chamado Aramy Fablício é o guardião dessas aves em Fagundes. Ele está cuidando de mais um animalzinho que nasceu recentemente.

Segundo ele, as aves que imitam troncos de árvores e vivem esticadas, na vertical, como se tivessem olhando a lua, procriam há décadas na região. “Já acompanhei o nascimento e o crescimento de dezenas delas. A começar pela primeira, há mais de 10 anos, que fiquei 71 dias acampado ao lado do tronco onde estava a ave bebê para os predadores não a capturarem. É um animal fantástico, complexo e que se desenvolveu bem aqui em Fagundes”, disse.

Em mais de dez sítios, as aves já nasceram, o que leva o ambientalista a crer que existem diversos clãs. O mais novo que ele registrou vive num sítio perto de onde mora. “O Uratau normalmente põe o ovo numa árvore conhecida por angico. Com o desmatamento aqui da região derrubaram as árvores, inclusive o angico. Eu sei o tempo que eles põe. Eu monitoro várias colônias, em vários lugares da região de Fagundes. O filhotinho até antes de ontem estava lá, crescendo bem”, relatou.

Aramy é carinhoso com os animais – Foto: divulgação

Diariamente, Aramy monitora para ver se ele voou para o que resta da floresta. De acordo com o ambientalista, a ave fez o ninho na estaca de uma cerca porque essas espécies estão ficando desorientadas com o desmatamento. “Sem o habitat natural, eles vão diminuir bastante. Essa é a realidade não só dos urutaus, mas de todos os animais que dependem das florestas. Anda mais agora, com essa Lei do armamento e de validação da caça. Vamos ver essa e outras espécies mais exclusivas sumirem rapidamente”, previu.

Há dez anos, Aramy executava sua primeira grande missão para salvar um Urutau. “Faz mais de décadas que anoto o período de cada um botar o ovinho. Tudo que aprendi vou publicar num livro ou em caderno mesmo para que as pessoas saibam como eu aprendo com a natureza e a protejo com grande esforço”, comentou.

Características

Imagem destacada: Urutau ou “Pai da Lua” camuflado no tronco de uma árvore. Foto: Aramy

Dentre as características do Urutau que são exóticas está o bico dele. Na verdade, o Urutau tem algo mais parecido com uma boca de sapo do que com um bico. Seus olhos possuem uma membrana parecida com as dos crocodilos, mas à noite, funcionam como os olhos das primas corujas.

As patas do Pai da Lua são anãs, bem pequenas, como um suporte para esse pouso demorado no tronco. Mas o que mais chama a tenção nessa ave é o canto.

_______

“Está entre os cantos mais exóticos dos pássaros que habitam o Brasil. É quase um choro, um lamento. Na minha infância era usado para nos assustar”, conta Aramy.

_________

Outros hábitos da ave é o isolamento e a monogamia. “Eles passam a vida toda com uma fêmea. Se ela morrer por alguma desgraça antes do tempo, o macho passa o resto da vida viúvo, cantando, solitário pela floresta. É uma ave que precisa ser preservada, estudada e difundida para todos os paraibanos”, concluiu.

Projetos natureza

Arthur, filho do ambientalista, segue os passos do pai. Foto: Aramy

De tanto mexer com as plantas e conhecer os animais da natureza onde habita, Aramy Fablício cria e mantém vários projetos sociais e de sustentabilidade. Detalhe: sem ajuda nenhuma a não ser dos amigos e moradores do local.

“Sensibilizei, ao longo dos tempos, e faço doação de placas reaproveitadas de zinco das antigas bicas para armazenar água. Hoje também reaproveito de out door. Nas plaquinhas tem a frase ‘Proibido caçar e capturar animais’. Esse projeto se chama Biqueira Velha, que é ‘pai’ do projeto Natureza Livre. Todos são páginas no Face”, informou.

Veja o vídeo do Pai da Lua. Clique AQUI e AQUI


Com informações: Valdívia Costa / Debate Paraíba Debate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *