Voluntários são recompensados ​​com vida mais longa, aponta estudo

Motivação: desejo de ajudar os outros. Um misto de sentimento de gratidão e alegria. Leveza do ser e a enorme sensação de satisfação e reconexão ao propósito. Fazer voluntariado proporciona tudo isto e muito mais.

As observações sobre o voluntariado vêm de estudos epidemiológicos que acompanham várias populações ao longo do tempo. Eles são notoriamente complexos por causa de como as pessoas experimentam muitas das chamadas “variáveis ​​confusas” – coisas diferentes acontecendo ao mesmo tempo. 

Exemplificando: as pessoas estão se casando ou se divorciando, ganhando ou perdendo empregos, parando de fumar, comendo e se exercitando melhor. Com variáveis ​​científicas como essas, pode ser difícil separar causa e efeito. 

As pessoas voluntárias vivam mais talvez porque simplesmente são mais saudáveis ​​e capazes de se voluntariar. Ou eles tenham recursos financeiros (não precisem trabalhar em dois empregos) para ter mais tempo para se voluntariar.

Efeitos do voluntariado

Foto: Reprodução

Já que os cientistas podem tentar se ajustar a esses diferentes eventos da vida, estudos geralmente relatam que os efeitos do voluntariado permanecem após esses ajustes com razoável consistência. Segui-los ao longo do tempo também apoia esta ideia – que o voluntariado reduz a morte. 

Um recente e grande estudo europeu descobriu que os escores de saúde auto-relatados foram significativamente melhores em voluntários do que em não-voluntários – a diferença em escores equivalentes a cerca de 5 anos de envelhecimento.

Como o voluntariado pode diminuir o risco de morte? Existem vários fatores em jogo. O primeiro, e provavelmente o mais significativo, são sintomas diminuídos de estresse e humor elevado. Vários estudos forneceram evidências de que o voluntariado é bom para depressão, bem-estar e redes sociais, entre outros efeitos. Em segundo lugar, as pessoas que se voluntariam regularmente também se esforçam mais para cuidar de si mesmas, como demonstrado em visitas ao seu médico para cuidados de saúde preventivos.

Finalmente, as pessoas que se voluntariam podem ser mais ativas fisicamente, como visto no ensaio Baltimore Experience Corps Trial, um estudo sobre os efeitos do voluntariado em idosos. Nesse estudo , as mulheres (mas não os homens) tiveram um aumento significativo na caminhada diária em comparação com aqueles que não se voluntariaram.

Foto: Reprodução

O voluntariado provavelmente exerce seus efeitos positivos na saúde, conectando pessoas a outras pessoas e a uma atividade que elas considerem significativa. 

Alcançar conexão, propósito e significado é fundamental para atenuar os estressores da vida – particularmente a solidão. Como o estresse é uma das principais causas de doenças, especialmente doenças cardíacas, a capacidade de suprimir a necessidade de conexão, propósito e significado pode trazer mudanças benéficas e salutares para as pessoas . E quando há propósito e estamos conectados aos outros, cuidamos de nós mesmos.

Olhando por uma perspectiva materialista, o conceito é difícil de entender. Mas se olharmos por uma perspectiva espiritual e biológica, isso faz sentido. É tanto que muitos anos atrás, nossos antecessores entenderam esse ponto sem técnicas científicas modernas. E nos deixaram escrito: “Um homem generoso prosperará, aquele que refrescar os outros será revigorado”. (Provérbios)


Com informações: GNN / NCBI 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *